sábado, 1 de Novembro de 2008

SHAKESPEARE APAIXONADO

Vi pela segunda vez este filme de amor. Supostamente o famoso escritor William Shakespeare, ainda pobre e lutando para sobreviver com suas peças, sem inspiração, encontra um grande amor, naturalmente impossível e se inspira para sua famosa peça Romeu e Julieta. O que atrai neste filme? As lindas palavras e promessas de um casal envolvido num amor impossível.Como tantos outros, eles sofrem, vivem intensamente, mas o destino os separa irreparavelmente.
Paixões somente permanecem perenemente quando impossíveis, assim postulam os teóricos de tal sentimento. Quando elas duram, precisam se transformar em amor, o amor companheiro, parceiro, cúmplice. Laura Kpinis, professora de comunicação em uma universidade americana, escreveu um livro interessante : Contra o Amor, onde ela rechaça a idéia do amor companheiro. Para Kpinis, o amor companheiro é um disfarce para o sentimento monótono que se instala em umrelacionamento quando a paixão se vai.
Será então que a paixão deve sempre procurar o novo e o impossível? Aquele sentimento que arde sem parar? a dor de querer e não poder? A ansiedade em ver, falar, tocar,mas que nada acontece e se sofre inutilmente?
Se observarmos as grandes histórias de amor que atravessaram os séculos, veremos que foram todas impossíveis de se concretizar. Romeu e Julieta, Tristão e Isolda, Abelardo e Heloísa. Histórias baseadas em Eros e Psiquê?
Talvez seja possível viver um grande amor, não permitir que o tédio do cotidiano se acomode no relacionamento. Talvez, ao usar a criatividade e a vontade de permanecer juntos estimulem os casais a não buscar o novo, mas a se refazerem diariamente, com o companheiro ou companheira que escolheu para vivenciar a grande paixão nascida entre os dois. Transformações virão com o tempo, mas, questiono, precisamos deixar o amor morrer? Precisamos constantemente buscar o novo e o mais prazeroso? Egoisticamente corrermos em busca de prazer e mais prazer, deixando para trás um rastro de dor e solidão?
Shakespeare, um dos maiores autores de peças teatrais e poemas impossível de ser imitado. Somente alguém apaixonado poderia escrever tão apaixonantes tragédias, romances, poemas constantemente vitalizados pela dor, pelo amor, pela separação.
Shakespeare apaixonado, um filme repleto de metáforas, que talvez tenha contribuído para a construção do imaginário do amor repentino, mas imortal posto que impossível.

Sem comentários: